De acordo com o Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 5th Edition – DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, 5ª Edição), a Perturbação Obsessivo-Compulsiva é um transtorno mental demarcado pela ansiedade ou sofrimento e caracterizado pela presença de pensamentos persistentes (obsessões). Estes pensamentos recorrentes são suprimidos por novos pensamentos ou ações (compulsões), que são atos executados em resposta da obsessão. As compulsões são uma tentativa de prevenir a ansiedade ou angústia provocada pelos pensamentos obsessivos.

A ansiedade provocada pela POC pode ser muito desconfortável e, pode impedir que o paciente se envolva em atividades sociais ou realize as suas tarefas profissionais.

Diagnosticando a POC

Ser demasiado limpo ou alguém que realmente goste de ordem e organização não significa que se sofra de POC. Para uma pessoa ser diagnosticada com POC, essas obsessões e compulsões devem ser ocupações que consomem demasiado tempo ocupando várias horas dos nossos dias. Consequentemente, a POC afeta negativamente as atividades sociais e profissionais.

Um exemplo de obsessão na POC pode ser a necessidade de simetria e ordem. Neste caso, o paciente passa demasiado tempo (várias horas do seu dia) a organizar e ordenar coisas para ter a simetria desejada. Quando a pessoa não é capaz de fazê-lo, sente uma sensação desconfortável de ansiedade porque acredita que algo de mal lhe vai acontecer.

O efeito ansiolítico do tratamento com canabinoides para a POC depende da dosagem

De acordo com um estudo publicado por Tambaro et al., é importante diferenciar entre a correta utilização e a utilização indevida de canabinoides.

A correta utilização de canabinoides, que pode ser alcançada seguindo uma terapia controlada, pode ajudar a melhorar o relaxamento, a sociabilidade, a eutimia (estado de tranquilidade mental) e outras situações. Mas a utilização indevida de canabinoides pode provocar paranoia e psicose. Os investigadores também enfatizaram os efeitos ansiolíticos descobertos na utilização do THC. Estes efeitos podem ser benéficos para ajudar pessoas com POC a lidarem com a ansiedade.

Além disso, os investigadores também descreveram como os consumidores de quantidades modestas de canábis sentiam a euforia, relaxamento e sociabilidade provocados pelos canabinoides. Por outro lado, os consumidores de elevadas doses relataram fobia, pânico e diminuição cognitiva. Este é um dos motivos pelas quais as terapias controladas são essenciais, uma vez que os efeitos provocados pela canábis medicinal podem depender da quantidade de canabinoides administrados.

Deparou-se a mesma situação no CBD. Os investigadores facultaram detalhes acerca do efeito bidirecional do CBD como um ansiolítico e concluíram que doses baixas e moderadas proporcionam efeitos ansiolíticos.

Como o CBD pode ajudar as pessoas com POC?

Num estudo publicado por Blessing et al., foi explicada a interação entre o CBD e vários recetores dentro do sistema endocanabinoide com o objetivo de aliviar problemas relacionados com a ansiedade.

Novas evidências pré-clínicas utilizando modelos animais indicam que o CBD é bem-sucedido na redução dos níveis de ansiedade em transtornos relacionados com a ansiedade (como a POC). Para além disto, em modelos humanos, está a ser estudado se o CBD é um bom tratamento para reduzir os níveis de ansiedade. Isto poderia ser utilizado para melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem de POC.

Embora existam evidências clínicas e pré-clínicas acerca do sucesso dos canabinoides na diminuição dos níveis de ansiedade, é necessário efetuar mais pesquisas para disponibilizar um tratamento canabinoide mais completo para a POC e para saber como evitar as obsessões e compulsões que o paciente. Entretanto, os canabinoides podem ajudar a controlar a ansiedade provocada por esse transtorno consumidor de tempo.

Gostou da publicação? Dê-nos a sua opinião!
No votes yet.
Please wait...