No dia 17 de outubro, o Canadá tornou-se o segundo país do mundo, depois do Uruguai, a legalizar a canábis. A legislação permite a sua venda aberta ao público, mas esta é regulada de forma diferente, dependendo da região. Nalguns casos, é permitido o seu cultivo, mas existem casos, como o do Quebec e Manitoba, onde esse cultivo não é permitido.

Legalidade a respeito da canábis no Canadá

A idade legal para adquirir canábis no Canadá é de 18 anos, mas a maior parte das regiões determinou a idade mínima como 19 anos. Só o Quebec e Alberta estão a pensar em aumentar a idade mínima para 21 anos.

Cada região será responsável pela venda em lojas autorizadas e permitirá a abertura de lojas públicas. Para além disto, regiões específicas como a Colúmbia Britânica permitirão a presença de espaços privados ou a sua venda em lojas públicas.

Venda on-line de canábis

Agora é permitida a venda on-line de canábis no Canadá desde o dia 17 de outubro. De facto, neste primeiro dia, tem havido uma grande fila de pessoas fora dos estabelecimentos onde se vende canábis. Por exemplo, Vancouver ainda não tem uma loja de venda de canábis e Ontário estabeleceu que a venda on-line seja a única forma possível de adquirir canábis até que haja um claro estabelecimento do regulamento para as empresas que desejam vender canábis.

Produtos de canábis permitidos

É permitida a compra da planta seca ou fresca. Além disso, também é permitida a venda de produtos derivados como óleos, sementes e elementos próprios da CBD, para se poder preparar produtos comestíveis como muffins, bolos ou bebidas.

O impacto na canábis medicinal

A legalização permitirá que as empresas voltadas para o uso da canábis medicinal possam agora ter uma projeção maior. Com a injeção económica que a abertura e a venda ao público traz, haverá mais investimentos para a realização de investigações científicas focadas no uso terapêutico da canábis para diversas maleitas.

A nível industrial, começam a surgir grandes empresas que realizam operações de alta tecnologia e que se especializam em material de cultivo, produção e controlo exaustivo das diversas estirpes de canábis para uso terapêutico.

Isto anda de mãos dadas com a alta expectativa económica que este mercado inicial produzirá.

A produção de licenças de canábis para efeitos terapêuticos será concedida pelo Ministério da Saúde e, 120 empresas já possuem licenças. Porém, existem centenas de solicitações de licenças ainda pendentes.

Foto: Investingnews