Hoje em dia, fumar tornou-se um ato comum, um gesto social, um hábito diário. Atualmente, existem 1,1 milhares de milhões de fumadores em todo o mundo, representando quase 1/7 da população mundial. No entanto, os danos causados pelo consumo de tabaco são bem conhecidos e amplamente comunicados, como por exemplo, o aumento do risco de cancro, de derrames, de problemas de fertilidade, etc… É por isso que foram aprovadas inúmeras leis para limitar o consumo de tabaco, como o aumento do preço dos cigarros, a implementação de embalagens com imagens dos efeitos do tabaco, campanhas publicitárias mais ou menos agressivas, etc…

E, no entanto, o fenómeno da dependência é mais importante e mostra-nos porque é tão difícil deixar de fumar. Durante o período de desmame, são muitos os efeitos secundários adversos que se pode sentir: irritabilidade, ansiedade, alterações de humor, distúrbios do sono, falta de apetite, dores de cabeça, etc.

O canabidiol é a solução?

De acordo com um estudo recente, o CBD, ou canabidiol (um dos componentes da planta canábis), pode ser bastante eficaz quando se tenta deixar de fumar ou reduzir o consumo de cigarros. De facto, um estudo de 2013 (1) liderado pela unidade de psicofarmacologia clínica na UCL mostra como o sistema endocanabinoide (ECS), que está naturalmente presente nos nossos corpos, pode desempenhar um papel fundamental na regulação da dependência da nicotina. Neste estudo duplamente cego, 24 pessoas, que estavam dispostas a deixar de fumar, foram divididas em dois grupos. Um grupo teve de inalar um placebo enquanto o outro grupo inalou o CBD. Os participantes tiveram de usar o inalador quando sentiram o desejo de fumar.

Após uma semana de tratamento, notou-se que os fumadores que inalavam o CBD tinham reduzido o seu consumo em 40%. De facto, queriam usar o inalador 40% menos do que o grupo placebo.

De acordo com um dos diretores do estudo, o Dr. Morgan, o CBD pode ajudar a reduzir a ansiedade, o que permite que os fumadores que estão em abstinência estejam mais relaxados. Na verdade, o CBD atua sobre o sistema endocanabinoide, com os recetores canabinoides a regular numerosos fenómenos corporais. Desta forma, o canabidiol vai afetar os recetores de adenosina que permitem que a pessoa tenha um sono mais regular e mais restaurador, e os recetores de serotonina que regulam o nosso humor e ansiedade.

Sabe-se também que o CBD afeta o processo de memorização. Portanto, de acordo com os membros deste estudo, o CBD afeta o processo de reconsolidação. Quando um fumador vê uma pessoa a consumir tabaco, o seu cérebro envia sinais de prazer, recompensa e de ausência. O CBD seria capaz de eliminar o sistema de recompensa produzido pelo nosso cérebro quando um fumador fuma ou vê outra pessoa a fumar.

Este estudo é promissor e leva-nos a acreditar que o CBD tem um grande potencial em relação às suas diferentes propriedades e ao seu poder contra a dependência da nicotina.

CBD para deixar de consumir canábis?

O CBD também poderia ajudar para largar o consumo da canábis. A canábis é uma planta interessante porque contém componentes que estão naturalmente equilibrados entre si. De facto, sabe-se que o CBD é o antídoto para os efeitos secundários do THC. Portanto, em determinadas doses, o CBD reduz e às vezes até anula os efeitos secundários do THC, por exemplo, o efeito psicoativo. Da mesma forma, o canabidiol pode ter um efeito positivo para ajudar as pessoas viciadas em canábis a pararem de consumi-la e ao mesmo tempo reduzirem os fenómenos de dependência, que são parcialmente causados pelo THC.

Os resultados de um estudo de caso conduzido em 2012, pela Universidade de São Paulo, estão a caminhar nessa direção. A tolerância à canábis e os sintomas de abstinência são causados pela dessensibilização dos recetores CB1 excitados pelo THC. Portanto, durante 10 dias, uma mulher que está acostumada a consumir canábis de forma regular e a sofrer sintomas de abstinência, consumiu CBD para conseguir ultrapassar este período. Foi demonstrado que ela não sentiu nenhum dos sintomas de abstinência como fome, ansiedade, perturbações do sono e alterações de humor.

[1] Morgan CJ et alt. Cannabidiol reduces cigarette consumption in tobacco smokers: preliminary findings. 2013. Clinical Psychopharmacology Unit, University College London, London, UK.

[2]Crippa JA et alt. Cannabidiol for the treatment of cannabis withdrawal syndrome: a case report. 2013. Department of Neuroscience and Behavior, Ribeirão Preto Medical School, University of São Paulo and INCT Translational Medicine (CNPq)-São Paulo, Brazil.

Gostou da publicação? Dê-nos a sua opinião!
Rating: 5.0/5. From 2 votes.
Please wait...