Os homens e as mulheres têm hormonas diferentes. Portanto, não é de surpreender que os corpos dos homens e das mulheres não reajam da mesma forma aos canabinoides. Por outras palavras, o THC reage de maneira diferente ao estrogénio e à testosterona.

Quando uma mulher ovula, há um aumento no efeito do THC. De facto, um estudo descobriu que o THC é ainda mais eficaz no alívio da dor quando age com o estrogénio. Nestes casos, foi revelado que o THC pode ser até 30% mais eficaz na redução da dor em mulheres [1].

Existem algumas doenças que só afetam as mulheres. Um exemplo duma é a endometriose, uma maleita que afeta mais de 170 milhões de mulheres em todo o mundo. É uma doença crónica caracterizada pelo tecido endometrial crescer fora do útero e dentro da cavidade pélvica, ovários, intestino, ligamentos uterinos ou na bexiga. Por causa disto, a fertilidade da mulher fica em risco, e nalguns dos casos mais graves, o tecido endometrial pode até atingir os pulmões.

Tratar a endometriose com canábis medicinal

A endometriose é uma doença relativamente desconhecida, em que pouco se sabe sobre a sua causa ou cura. Não há muitos estudos clínicos acerca desta temática, portanto, também não há uma cura. Até agora, o foco sempre esteve no alívio da dor e no tratamento de qualquer outro problema que possa provocar.

As mulheres com endometriose sofrem frequentemente de náuseas e vómitos. Nalguns casos, as pacientes podem até chegar a desmaiar, pois a dor pode ser excruciante antes e durante a menstruação ou durante e após as relações sexuais. Nos casos mais graves, pode levar à formação de tumores.

Os canabinoides podem ser úteis no tratamento da endometriose. Como? O CBD e o THC têm propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e imunorreguladoras. O nosso corpo tem um sistema endocanabinoide que regula a expressão da dor, o sistema imunológico e o sistema de resposta inflamatória, entre outros. O sistema endocanabinoide é composto por numerosos recetores CB1 que são ativados pelos canabinoides. É por este motivo que o CBD e o THC podem ser úteis no tratamento da dor provocado pela endometriose.

Vários outros estudos acerca de canábis medicinal e cancro indicam que as células cancerígenas têm mais recetores CB1 do que células saudáveis. É isso que permite que os canabinoides ataquem diretamente as células cancerosas sem afetar as saudáveis. Esta descoberta sugere que, no caso da endometriose, o CBD e o THC podem ajudar a reduzir o crescimento de células endometriais. Infelizmente, não existem estudos para confirmar esta possibilidade.

A canábis medicinal, a menstruação e a gravidez

Dois outros problemas nos quais os canabinoides podem ser eficazes são as menstruações dolorosas ou na gravidez.

Durante a gravidez, é comum uma mulher sofrer de náuseas e vómitos. O feto em desenvolvimento exige muita comida da mãe. No entanto, se os vómitos forem demasiado frequentes, a mulher pode desenvolver uma doença conhecida como hiperémese gravídica [2]. Esta complicação da gravidez faz com que o feto seja incapaz de receber os nutrientes e vitaminas necessários para o seu crescimento.

Este tipo de problema pode ser controlado com canabinoides, como o CBD, que tem propriedades que aliviam as náuseas e os vómitos, para além de melhorar o apetite. Em relação à gravidez, sabe-se também que vários canabinoides estão naturalmente presentes no leite materno.

Referências

[1] Washington State University. “Estrogen increases cannabis sensitivity, study shows.” ScienceDaily. ScienceDaily, 3 September 2014.

[2] Dodds, Linda et alt. Outcomes of Pregnancies Complicated by Hyperemesis Gravidarum. Obstetrics & Gynecology: February 2006 – Volume 107 – Issue 2 – p 285-292.

Gostou da publicação? Dê-nos a sua opinião!
Rating: 1.0/5. From 1 vote.
Please wait...