O papel da canábis medicinal na gestão da incontinência 

A Semana Mundial da Continência, celebrada anualmente em junho, chama a atenção para a questão da incontinência, muitas vezes negligenciada mas significativa. Esta iniciativa global tem como objetivo aumentar a sensibilização para o impacto da incontinência na vida das pessoas e promover a educação, o apoio e a investigação para melhorar a gestão desta doença. A incontinência, a perda involuntária do controlo da bexiga, afecta milhões de pessoas em todo o mundo, reduzindo significativamente a qualidade de vida das pessoas afectadas. 

Definição e tipos

A incontinência é a incapacidade de controlar a libertação de urina, levando a perdas não intencionais. Existem vários tipos de incontinência: 

Incontinência de esforço: As perdas ocorrem quando é exercida pressão sobre a bexiga por actividades como tossir, espirrar ou fazer exercício. 

Incontinência de urgência: Uma vontade súbita e intensa de urinar seguida de perdas involuntárias. Está frequentemente associada à síndrome da bexiga hiperactiva. 

Incontinência de transbordo: Quando a bexiga não se esvazia completamente, provocando perdas de urina frequentes ou constantes. 

Incontinência funcional: Perdas de urina devido a uma deficiência física ou mental que impede o acesso atempado a uma casa de banho. 

Quem pode ser afetado pela incontinência? 

A incontinência afecta pessoas de todas as idades, embora seja mais comum nos idosos e nas mulheres. De acordo com a International Continence Society, mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo vivem com incontinência, sendo que as mulheres têm duas vezes mais probabilidades de a sofrer devido a factores como a gravidez, o parto e a menopausa. 

Diferentes tratamentos 

Os tratamentos tradicionais para a incontinência incluem: 

Exercícios para o pavimento pélvico (exercícios de Kegel): Fortalece os músculos que controlam a micção. 

Medicamentos: Os anticolinérgicos e os agonistas beta-3 são normalmente prescritos para relaxar a bexiga. 

Cirurgia: Procedimentos como a cirurgia de sling e a suspensão do colo da bexiga têm como objetivo dar apoio à bexiga e à uretra. 

Apesar da disponibilidade destes tratamentos, eles têm limitações. Os exercícios para o pavimento pélvico requerem uma prática consistente e podem não ser eficazes para todos os tipos de incontinência. Os medicamentos têm frequentemente efeitos secundários, como boca seca, obstipação e visão turva, e a sua eficácia pode variar. As opções cirúrgicas, embora potencialmente eficazes, têm riscos como infecções e longos períodos de recuperação. 

Cannabis medicinal: Uma nova abordagem 

A canábis medicinal refere-se à utilização da planta da canábis ou dos seus componentes químicos, os canabinóides, para fins terapêuticos. É legalmente acessível em muitas regiões para várias condições médicas, embora os regulamentos variem muito. Os principais canabinóides de interesse são o tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CBD), cada um dos quais interage com o sistema endocanabinóide do corpo (ECS) de formas únicas. 

Porque é que a canábis medicinal ajuda? 

Os canabinóides interagem com o ECS, que desempenha um papel crucial na regulação dos processos fisiológicos, incluindo a função da bexiga. O ECS inclui receptores (CB1 e CB2), canabinóides endógenos e enzimas que sintetizam e degradam estes canabinóides. Ao modular a atividade destes receptores, os canabinóides podem influenciar o tónus muscular da bexiga, reduzindo os espasmos e melhorando potencialmente o controlo da bexiga. 

Estudos sobre a canábis e a incontinência 

Vários estudos exploraram o impacto dos canabinóides no controlo da bexiga: 

Um estudo de 2003 publicado na revista Neuropharmacology descobriu que os agonistas dos receptores canabinóides reduziam as contracções da bexiga em modelos animais, sugerindo potenciais benefícios para a bexiga hiperactiva e a incontinência de urgência. 

A investigação destacada pela International Association for Cannabinoid Medicines (IACM) indica que os canabinóides podem diminuir a frequência e a urgência urinárias, aliviando potencialmente os sintomas de incontinência. 

Estudos de casos de pacientes 

Na Clínica Kalapa, vários pacientes relataram melhorias nos sintomas de incontinência com o tratamento com canábis medicinal. Uma paciente, uma mulher de 65 anos com incontinência de urgência, registou uma redução significativa da urgência e frequência urinária depois de incorporar o óleo de CBD no seu regime diário. Esta evidência anedótica apoia a necessidade de mais estudos clínicos para validar estes resultados. 

Benefícios da canábis medicinal 

Alívio dos sintomas 

A canábis medicinal pode ajudar a aliviar os sintomas da incontinência ao 

Reduz os espasmos musculares: Os canabinóides têm propriedades relaxantes musculares, o que pode diminuir os espasmos musculares da bexiga. 

Melhora o controlo da bexiga: Ao interagir com o ECS, a canábis pode melhorar o controlo geral da função da bexiga, reduzindo as perdas involuntárias. 

Melhor qualidade de vida 

Os doentes que utilizam canábis medicinal para a incontinência referem frequentemente uma melhor qualidade de vida. A redução dos sintomas significa menos interrupções nas actividades diárias, melhor sono e menos ansiedade relacionada com os episódios de incontinência. Esta melhoria holística sublinha o potencial da canábis medicinal como uma opção de tratamento valiosa. 

Possíveis efeitos secundários 

Embora a canábis medicinal possa ser benéfica, é essencial ter em conta os potenciais efeitos secundários, que podem incluir 

  • Sonolência 
  • Boca seca 
  • Alterações no apetite 
  • Tonturas 

A supervisão médica é crucial para gerir eficazmente estes efeitos secundários e para garantir a dosagem e o método de administração adequados. 

Aspectos regulamentares e legais 

O estatuto legal da canábis medicinal varia consoante a região. Os doentes devem compreender os regulamentos locais e procurar orientação junto de prestadores de cuidados de saúde familiarizados com as terapias com canábis. É importante utilizar a canábis sob supervisão médica para garantir um tratamento seguro e eficaz. 

Resumo 

A incontinência é uma condição prevalente que afecta significativamente a qualidade de vida dos indivíduos. Os tratamentos tradicionais, embora eficazes para alguns, têm muitas vezes limitações e efeitos secundários. A canábis medicinal oferece uma alternativa promissora, com a investigação e as experiências dos pacientes a sugerirem o seu potencial para aliviar os sintomas da incontinência e melhorar o bem-estar geral. 

Durante a Semana Mundial da Continência, encorajamos os leitores a participar em eventos, a aumentar a consciencialização e a considerar a possibilidade de discutir a canábis medicinal com os seus prestadores de cuidados de saúde como uma potencial opção de tratamento para a incontinência. 

Referências: 

  1. Pertwee, R. G. (2003). Cannabinoids and the gastrointestinal tract. Gut, 52(6), 864-866. doi:10.1136/gut.52.6.864
  2. International Association for Cannabinoid Medicines (IACM). (n.d.). Cannabinoids for the treatment of overactive bladder syndrome and detrusor overactivity: A promising treatment approach. Retrieved from https://www.cannabis-med.org/index.php?tpl=page&id=74&lng=en
  3. Kalapa Clinic. (n.d.). Patient case studies on the use of medical cannabis for incontinence. Retrieved from https://www.kalapa-clinic.com/en/case-studies/

About Kalapa Expert

Información creada y revisada por expertos en cannabis medicinal. Todas las publicaciones se basan en investigaciones médicas y con referencias clínicas.

Information created and reviewed by medical cannabis experts. All publications are based on medical research and with clinical references.

Informationen, die von medizinischen Cannabis-Experten erstellt und geprüft wurden. Alle Veröffentlichungen beruhen auf medizinischer Forschung und mit klinischen Referenzen.